Prefeitura Municipal de Pinhalão

Deputados apresentam projeto para reconhecimento de Pinhalão como Capital do Café Especial

No último dia 24, na sessão na Assembleia Legislativa do Paraná, os deputados Professor Lemos (PT) e o Alexandre Curi (PSB) apresentaram o Projeto de Lei Ordinária nº 433/2021 que tem como objetivo reconhecer e conceder a cidade de Pinhalão o título de Capital do Café Especial.

O projeto que foi apresentado em plenário, entrou em tramitação e poderá ser votado nas próximas sessões da Assembleia Legislativa do Paraná.

O pedido foi realizado pelo prefeito de Pinhalão, Dionísio Arrais de Alencar, em conversa com o Governador Ratinho Junior e o Deputado Alexandre Curi, onde o prefeito explanou que a cidade de Pinhalão estava pleiteando o título de Capital Paranaense do Café Especial e que a certificação irá ajudar a fomentar a economia do município e a geração de emprego e renda para os produtores. “Na semana passada estive em Curitiba e tive a oportunidade de presentear o Governador Ratinho com nossos cafés especiais e explicar a ele que nós estávamos pleiteando o título de Capital Paranaense do Café Especial e demostramos para o Governador matérias e títulos que falam de nossos cafés. Já nesta semana recebemos a informação que o projeto foi apresentado na Alep por indicação dos deputados Alexandre Curi e Professor Lemos, onde com o título esperamos alavancar ainda mais o nome de Pinhalão no cenário estadual e nacional gerando desenvolvimento econômico e do turismo de nosso município” destacou o prefeito.

O Café Especial

Cafeicultoras do Norte Pioneiro do Paraná estão exportando o café especial que produzem na região. A venda das 460 primeiras sacas do produto ao Japão e à Austrália, nos últimos dois anos, representou aumento na renda das famílias e também mais um passo do projeto Mulheres do Café, implantado pelo Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) na região.

A cafeicultura ocupa cerca de 41 mil hectares no Paraná. A maior parte das lavouras paranaenses tem em média 10 hectares e é conduzida por pequenos produtores familiares.

O café especial rende três vezes mais do que o comum. Uma saca do grão verde do especial é vendida entre R$ 1,2 mil e R$ 1,5 mil. A economista doméstica da Emater de Pinhalão, Cíntia Mara Lopes de Souza, explica que a assistência técnica para as cerca de 250 cafeicultoras da região envolve desde a escolha do local do plantio até a comercialização do produto.

Em 2013, o Norte Pioneiro foi a primeira região a formalizar o Sub Capítulo da Aliança Internacional das Mulheres do Café – IWCA Brasil e ganhar o reconhecimento do projeto como referência entre os trabalhos desenvolvidos nos países onde a Aliança está presente.

As 250 cafeicultoras atendidas possuem pequenas propriedades em 11 municípios do Norte Pioneiro do Paraná: Curiúva, Figueira, Ibaiti, Japira, Jaboti, Pinhalão, Tomazina, Siqueira Campos, Salto do Itararé, Joaquim Távora e Carlópolis. A Emater promove reuniões técnicas, encontros, visitas técnicas, cursos e colabora na valorização do café produzido pelas cafeiculturas.

O Prêmio Café Qualidade Paraná é uma realização da Câmara Setorial do Café do Paraná, Seab, Iapar, Emater-PR, Associação dos Engenheiros Agrônomos de Londrina e Prefeitura de Pinhalão, com patrocínio da Sicredi, Faep/Senar, Bratac, Ocepar, Sebrae, Cooperativa Integrada, BRDE e, ainda, o apoio da Cocari, Cocamar, Copacol, Associação Brasileira da Indústria do Café (Abic) e Sociedade Rural do Paraná (SRP).

Sem categoria