Prefeitura Municipal de Pinhalão

Pinhalão-PR

Deputados apresentam projeto para reconhecimento de Pinhalão como Capital do Café Especial

No último dia 24, na sessão na Assembleia Legislativa do Paraná, os deputados Professor Lemos (PT) e o Alexandre Curi (PSB) apresentaram o Projeto de Lei Ordinária nº 433/2021 que tem como objetivo reconhecer e conceder a cidade de Pinhalão o título de Capital do Café Especial.

O projeto que foi apresentado em plenário, entrou em tramitação e poderá ser votado nas próximas sessões da Assembleia Legislativa do Paraná.

O pedido foi realizado pelo prefeito de Pinhalão, Dionísio Arrais de Alencar, em conversa com o Governador Ratinho Junior e o Deputado Alexandre Curi, onde o prefeito explanou que a cidade de Pinhalão estava pleiteando o título de Capital Paranaense do Café Especial e que a certificação irá ajudar a fomentar a economia do município e a geração de emprego e renda para os produtores. “Na semana passada estive em Curitiba e tive a oportunidade de presentear o Governador Ratinho com nossos cafés especiais e explicar a ele que nós estávamos pleiteando o título de Capital Paranaense do Café Especial e demostramos para o Governador matérias e títulos que falam de nossos cafés. Já nesta semana recebemos a informação que o projeto foi apresentado na Alep por indicação dos deputados Alexandre Curi e Professor Lemos, onde com o título esperamos alavancar ainda mais o nome de Pinhalão no cenário estadual e nacional gerando desenvolvimento econômico e do turismo de nosso município” destacou o prefeito.

O Café Especial

Cafeicultoras do Norte Pioneiro do Paraná estão exportando o café especial que produzem na região. A venda das 460 primeiras sacas do produto ao Japão e à Austrália, nos últimos dois anos, representou aumento na renda das famílias e também mais um passo do projeto Mulheres do Café, implantado pelo Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) na região.

A cafeicultura ocupa cerca de 41 mil hectares no Paraná. A maior parte das lavouras paranaenses tem em média 10 hectares e é conduzida por pequenos produtores familiares.

O café especial rende três vezes mais do que o comum. Uma saca do grão verde do especial é vendida entre R$ 1,2 mil e R$ 1,5 mil. A economista doméstica da Emater de Pinhalão, Cíntia Mara Lopes de Souza, explica que a assistência técnica para as cerca de 250 cafeicultoras da região envolve desde a escolha do local do plantio até a comercialização do produto.

Em 2013, o Norte Pioneiro foi a primeira região a formalizar o Sub Capítulo da Aliança Internacional das Mulheres do Café – IWCA Brasil e ganhar o reconhecimento do projeto como referência entre os trabalhos desenvolvidos nos países onde a Aliança está presente.

As 250 cafeicultoras atendidas possuem pequenas propriedades em 11 municípios do Norte Pioneiro do Paraná: Curiúva, Figueira, Ibaiti, Japira, Jaboti, Pinhalão, Tomazina, Siqueira Campos, Salto do Itararé, Joaquim Távora e Carlópolis. A Emater promove reuniões técnicas, encontros, visitas técnicas, cursos e colabora na valorização do café produzido pelas cafeiculturas.

O Prêmio Café Qualidade Paraná é uma realização da Câmara Setorial do Café do Paraná, Seab, Iapar, Emater-PR, Associação dos Engenheiros Agrônomos de Londrina e Prefeitura de Pinhalão, com patrocínio da Sicredi, Faep/Senar, Bratac, Ocepar, Sebrae, Cooperativa Integrada, BRDE e, ainda, o apoio da Cocari, Cocamar, Copacol, Associação Brasileira da Indústria do Café (Abic) e Sociedade Rural do Paraná (SRP).

Sem categoria